Imagem do post 3

5 dicas para fazer as tarefas domésticas mais rápido


Já falamos da importância de manter o nosso lar organizado, mas como fazer para colocar a casa em ordem sem perder tempo ou desanimar no meio do caminho? Você precisa focar em dois pontos principais: Planejamento e Triagem.

O que muitas vezes fazemos, sem perceber, é centralizar as tarefas utilizando aquela premissa famosa: “já que se você fizer não vai ficar do meu jeito, eu faço!”

Parabéns! Assim você assume todas as tarefas, fica extremamente sobrecarregada e acaba concluindo que está sozinha diante das responsabilidades domésticas, porque ninguém se compromete na execução de parte do processo de organização.

Se por um lado não percebemos essa tendência centralizadora, por outro ainda adotamos a postura de pedir ajuda, não a de dividir os afazeres. Então, que tal substituirmos questionamentos como “me ajuda com tal coisa?” ,“ faz isso pra mim, por favor?”, por algo mais efetivo, do tipo: “ Tem tais tarefas para fazer. Como dividiremos? O que você pode fazer? Faça isso, por favor?”

Percebeu como a forma de falar ajuda ou atrapalha os relacionamentos diante da organização doméstica?

Mais do que DELEGAÇÃO, a organização doméstica assertiva deve ser trabalhada por meio da DIVISÃO de tarefas. Mas, qual é a diferença prática entre os dois termos, Joana?

Explico:

Ao DELEGAR uma tarefa para outra pessoa com o objetivo de não se sobrecarregar, a responsabilidade pela execução, acompanhamento e resultado do que será feito permanece sua. O outro está apenas ajudando naquele processo, mas está claro que a responsabilidade não é dele.

Quando se DIVIDE as tarefas com outras pessoas, elas se tornam NOSSAS. Assim, todos os méritos e problemas enfrentados durante a ação serão compartilhados junto com as responsabilidades, tornando a execução uma conquista de TODOS.

Qual dessas situações é a realidade na sua casa?

A forma como cada família se estrutura quanto a isso é particular, porém uma pesquisa feita pelo Instituto Qualibest e pelo site Mulheres Incríveis ouviu 1.317 mães – todas com mais de 18 anos – e comprovou que existe uma necessidade de adotar novas posturas a respeito da organização doméstica.

Isso se deu, porque dois terços das mães ouvidas consideram a rotina que vivem atualmente, difícil, exaustiva ou impossível. Sendo que, apenas 9% delas dizem se identificar com a imagem da mãe que aparece na mídia e 70% afirmaram que se sentem julgadas ou cobradas de alguma forma no dia a dia.

“Chamou-nos a atenção que, quando solicitamos às entrevistadas que fizessem um pedido, 40% disseram que gostariam de ter ajuda nas atividades domésticas”, afirma a jornalista Brenda Fucuta, idealizadora da pesquisa.

O desafio atual da mãe brasileira parece ser o de envolver o cônjuge e as crianças nas tarefas domésticas.

Não é preciso ir muito longe para perceber o quanto a participação ativa dos pais tem aumentado, né? Basta olhar a sua volta: Na sua casa ou, no mínimo, dentro das suas relações pessoais e/ou de trabalho, você com certeza conhece um pai que troca fralda, dá banho, comida, leva ao pediatra quando pode, etc.

Eis o grande ’X’ da questão: por mais que haja uma participação masculina cada vez maior nas tarefas da casa e com filhos, ainda predomina uma postura muitas vezes inconsciente de que eles SÓ ajudam, quando, na verdade, a rotina deveria ser igualmente dividida.

Dicas para Divisão de Tarefas Domésticas

Da próxima vez que for planejar as tarefas domésticas, lembre-se de dividir:

  1. Explique a diferença entre os conceitos.
  2. Negociações nesta divisão precisam ser ainda mais assertivas. Sendo assim, frases como “ O que você pode fazer?” “ Faça isso, por favor?” “Tal coisa precisa ser feita, você pode? Para mim não dá” “ Hoje você faz, amanhã/semana que vem eu faço” ajudam para gerar clareza na divisão.
  3. Leve em conta que, de acordo com os horários e afazeres de trabalho e pessoais, nem sempre a conta será 50% – 50%, mas cada um faz o que pode, certo?
  4. Permita que o outro faça do jeito que achar melhor. Temos a tendência de querer do nosso jeito sempre e isso é um problema. Desde que o resultado seja alcançado, o método pouco importa.

Me dei conta disso quando Sophie – hoje com quase 3 anos – era bebê. Eu tinha o meu jeito de dar banho nela e queria que fosse replicado. Em pouco tempo percebi que mesmo com as diferenças de método, o resultado era o mesmo: ela limpa e com a fralda trocada. Essa experiência me ajuda muito até no trabalho. Não é à toa que cada vez mais se percebe o quanto a maternidade potencializa o desenvolvimento profissional das mulheres.

  1. E claro, não esqueça dos pequenos. Considerando a idade na hora de atribuir a tarefa, é possível SIM contar com a participação das crianças.

tarefas domésticas

Só então é possível planejar, executar e posteriormente avaliar. Se for necessário, replaneje e não esqueça que mudanças na rotina precisam passar por um tempo de adaptação, por isso é fundamental haver compreensão de ambas as partes, né?

Afinal, todos em casa são do mesmo time: Da família. 😉

Posts similares

Comentários