Imagem do post 1

A importância do “follow up”


Uma grande diferença entre as pessoas que gerenciam bem seu tempo para as outras, é sua capacidade de cobrar e retornar a assuntos ainda pendentes.

Follow-Up

Uma pessoa que delega a atividade e só lembra-se de cobrar, muito tempo depois, perde toda a credibilidade, além do impacto que o atraso na tarefa pode gerar. É aquele famoso caso de quando enviamos um e-mail pedindo algo para alguém é só lembramos quando é tarde demais. Esse é o caso típico que um follow up ajuda bastante. Nesse caso a recomendação é ao enviar o e-mail, já adicionar uma tarefa ou até um compromisso para lembrar-se da atividade alguns dias depois. Assim nada se perde.

Sempre me perguntam, se o ato de delegar, por si só não deveria eximir sua responsabilidade sobre a tarefa, ou seja, se eu delego é porque confio que a tarefa seja feita da forma adequada e não preciso dedicar mais tempo nisso.

Se entendermos que a responsabilidade da tarefa é sempre de quem delega, você pode assumir o risco de que a pessoa faça da forma correta ou prevenir com um “follow up” e evitar maiores problemas. As duas opções estão corretas dependendo da situação.

Eu defendo que o “FUP (follow up – lembre)” deve ser feito em tudo e com constância. Isso vale para tarefas, mas também para suas metas pessoais, seus projetos, leitura, etc. O dia a dia consome nossa atenção e esses FUPs, ajudam a colocar nosso tempo naquilo que é realmente importante.

Pare alguns instantes, revise as pendências e crie seu FUPs para evitar maiores problemas! Fica a dica.