http://maistempo.com.br/wp-content/uploads/2017/03/OGMT8Z0.jpg Imagem do post

Como aumentar a produtividade da sua equipe pela ferramenta da Mente de Colmeia


Um dos maiores desafios dos gestores é extrair da sua equipe a melhor produtividade possível. Ferramentas motivacionais, técnicas pedagógicas, metas e benefícios são propostas usuais nas empresas. Mas segundo pesquisas recentes do matemático Steven Strogatz, da Universidade de Cornell, nos EUA, e de Institutos de Harvard e MIT sobre Inteligência Coletiva, existe uma força de restauração já presente no Universo que é a fonte de nossas interações sociais e pode ser a chave para resolver essa questão da performance dos grupos.

 

Essa chave é a força da Sincronicidade, já citada por diversos filósofos e estudiosos da psique humana, como Carl Jung em seu livro sobre o tema. E a grande novidade é que, para caminharmos do abstrato ao concreto, para entendermos de forma mais clara e aprendermos a usar essa ferramenta, a resposta está na observação e análise da Natureza, e a técnica nos agrupamentos de animais.

 

As abelhas, por exemplo, quando vão escolher um novo local para uma colmeia, passam dias deliberando em conjunto as vantagens de cada local. É a análise de riscos delas. Como elas têm o mesmo propósito definido, a escolha dá certo em 80% dos casos. No ser humano, mesmo os interesses sendo divididos, será que não temos como aprender um pouco com esse tipo de democracia para ter mais sucesso? Tem gente que está provando que sim. Intuitivamente já buscamos isso em alguns grupos do WhatsApp e Facebook.

 

 

Napoleon Hill, em Lei do Triunfo, também fala sobre a formação de grupos de mente mestra para se obter melhores resultados. O exemplo clássico disso é a diferença dos indivíduos para a matemática. Na matemática 1 + 1 é igual a 2. Nos indivíduos, quando junta 1 com o outro 1, se pensarmos em termos de produtividade, as resposta são infinitas possibilidades.

 

O segredo da Mente de Colmeia é o comportamento de enxame, ou enxameamento, como eles têm chamado. Uma empresa americana, baseada na Mente de Colmeia, desenvolveu um aplicativo de pesquisa no qual os usuários definem suas escolhas juntos e simultaneamente. E ele foi testado na premiação do Oscar de 2015. A pergunta “quem vai ganhar o Oscar?” foi feita da forma de pesquisa clássica para 48 pessoas aleatoriamente. De 15 Oscars, a pesquisa obteve 6 acertos, ou seja, 40% de acerto. Fizeram, então, um subgrupo pegando 7 pessoas aleatoriamente dos 48 e colocaram elas para decidirem, em conjunto, usando o aplicativo pelo método de Mente de Colmeia, sem se conhecerem ou se verem, e eles tinham um minuto para decidir a melhor opção. E a pesquisa obteve 11 acertos, isto é, 73% de acertos. Por quê?

 

Porque o modelo de pesquisa que estamos acostumados é assincrônico. A pessoa individualmente responde a uma determinada pesquisa. O modelo de pesquisa deles, baseado no enxame, só que com pessoas na mente de colmeia, é um modelo de pesquisa sincrônico. E como seria isso?

 

Imagine você tendo que escolher entre uma nota de dois reais e uma outra de 100 reais. Qual escolheria? A resposta óbvia, pensando em seu próprio benefício, seria a de 100 reais. Agora imagine que você está em um grupo de 100 pessoas e só existem 10 notas de 100 reais, sendo que, se mais de 10 pessoas escolherem essa nota, ninguém vai ganha-lá. E agora, qual você escolheria?

 

Essa questão remete você a um pensamento coletivo. Você migra da sua individualidade para a coletividade do grupo e, por um fenômeno conhecido como evolução convergente, o grupo vai conversar para determinar qual seria a melhor forma de partilha. Isso é Mente de Colmeia, um método que tem sua raiz na força da sincronização através da ferramenta de “SWARM”, como é conhecido, enxameamento em Inglês.

 

Existem diversos tipos de SWARM na natureza: nos peixes, pássaros, abelhas, lobos, búfalos e seres humanos, por exemplo. Basta uma rápida busca no Google para assistir a esse fenômeno. Porém, esse agrupamento baseado na sincronicidade é bom sempre? A resposta é não. Um cão ou uma pessoa com problema de epilepsia, por exemplo, só entram em crise porque, devido a um distúrbio, milhões de células nervosas entram em sincronia e descarregam energia juntas, em sequência levando à convulsão.

 

Existe um outro fenômeno que, inspirado no coletivo de elefantes, é chamado de Efeito Manada. É o lado perigoso do uso da sincronicidade. Animais e pessoas podem sair correndo simplesmente porque viram todo mundo correndo também. Isso pode ter o lado bom, como fugir do perigo, mas não é muito inteligente. É quando acontecem aqueles acidentes de pessoas sendo feridas em tumultos de multidões.

 

Trazendo isso para o nosso trabalho: Por que vou organizar essa mesa, se ninguém organiza? Por que vou chegar no horário, se ninguém chega? Por que vou agir diferente, se todo mundo age assim? Pessoas no trabalho podem preferir ficar conversando sobre a vida dos outros ou interagindo em redes sociais, apenas pelo prazer que a sincronização de estar em grupo na mesma sintonia, na mesma vibe, traz. Sincronização libera oxitocina no seu cérebro, que é o hormônio do prazer. Sincronizar por afinidade é importante se não atrapalhar no rendimento, na produção da empresa.

 

A sincronicidade pelo Efeito Manada te puxa, é verdade, mas o seu sucesso depende também do seu juízo moral. A sincronicidade é um meio, e não um fim. Como tudo na vida, é preciso entender e saber usar na medida certa. Então a pergunta de ouro é: Como usar a sincronicidade para obter melhores resultados? Para ser mais produtivo? Pra gerir melhor a sua equipe?

 

Já usamos o enxameamento em sites de pesquisa de viagem, por exemplo. Não só quando fazemos compras coletivas, mas também quando selecionamos por preço, quantidade de estrelas ou quando fazemos comentários e analisamos os dos outros. Esse tipo de pesquisa é mais produtivo, faz você pular etapas operacionais, porque cada um faz o seu gerenciamento e ajuda o outro a fazer o dele. Geração de sincronia total.

 

Por mais que o Efeito Manada, de agir por impulso coletivo, tenha o seu valor, fugir do perigo, a Mente de Colméia é o caminho. E o segredo é usar o enxameamento para sincronizar com aumento da produtividade. E não precisa ser tão inteligente assim, até os insetos fazem. A gente tem como aprender.

 

Exemplos

 

1 – A lâmpada do escritório não está acendendo.

 

Efeito Manada? Ninguém trabalha sem luz
Mente de Colmeia? Vamos trabalhar juntos, um segura a cadeira enquanto o outro sobe para avaliar a lâmpada. Enquanto isso, um terceiro vai analisando qual a loja de lâmpada mais próxima e um quarto está buscando um eletricista.

 

2 – A internet está lenta.

 

Efeito Manada? Ninguém tem nada a ver com isso. Vamos esperar melhorar.
Mente de Colmeia? Vamos ver o que dá para ir adiantando nos outros serviços ou pelo Smartphone.

 

3 – A meta não foi atingida.

 

Efeito Manada? A culpa é de todos. Logo, fica mais difícil responsabilizar alguém.
Mente de Colmeia? Organizar melhor o planejamento.

 

O segredo é buscar usar a sincronicidade fazendo a migração da sobrevivência individual (Efeito Manada) para a coletiva (Mente de Colmeia) e, assim, mostrando os benefícios desse sistema. Daí a importância da missão da empresa e de definir e enfatizar o propósito da execução de um trabalho, para todos os colaboradores sentirem a vantagem e comprarem a ideia.
O marketing multinível, por exemplo, é inspirado nesse sistema. Física quântica, pensamento sistêmico, positividade, todos esses têm os dois pés na Sincronicidade. E aprender com os padrões da Natureza que já usam essa força há milhares de anos pode ser o caminho para seu sucesso.

 

Adriano Simões
Palestrante comportamental, com formação em Programação Neurolínguistica 
e Coaching. Pesquisador da relação ser humano-animal, atua na área de 
desenvolvimento de pessoas há 5 anos.
www.adrianosimoes.com.br

Posts similares

Comentários