Imagem do post 1

O Sedentarismo e o impacto na sua Saúde


Na antiguidade os sedentários eram aqueles que migraram de um padrão nômade de vida para um local fixo de acampamento. Isso se deve, em parte, ao avanço das técnicas de agricultura e pecuária. Graças ao sedentarismotivemos a formação de vilas, cidades e outros tipos de comunidade.

O mesmo padrão de comportamento está acontecendo nos dias de hoje. Com um estilo de vida cada vez mais “conectado”, não precisamos mais sair do sofá para ter entretenimento, não precisamos visitar os amigos para falar com eles, podemos pedir pizza ao invés de ir à pizzaria, deixamos de bater perna e compramos uma geladeira pela Internet. Conectamo-nos ao mundo e nos desconectamos da nossa saúde, do movimento, do esporte.

bundacadeira

Esse estilo de vida, “bunda” na cadeira, está matando muita gente. Uma pesquisa publicada em 2012 pela revista médica Britânica Lancet, afirma que a falta de exercícios vem causando tantas mortes quanto o tabagismo. A inatividade mata uma em cada dez pessoas no mundo, com doenças cardíacas, diabete e câncer de acordo com o estudo.

No estudo que fiz para o livro Equilíbrio e Resultado, as pessoas afirmaram que a atividade mais adiada são os exercícios físicos, apontado por 67% das mais de 3 mil pessoas que responderam a pesquisa. O pior é que 53% das pessoas afirmam que também adiam cuidados com a saúde.

Por que estamos vivendo de forma tão destrutiva? Sem dúvida a falta de tempo e a preguiça são as maiores desculpas para a atividade física não acontecer. Eu tenho pensado muito sobre isso, em como ajudar pessoas a saírem do lugar e terem uma vida com mais qualidade. Eu vivo isso, atualmente, em minha família. Meu pai, depois de um surto de pressão alta, começou a se preocupar mais com a saúde, seus esforços estão começando e ele se propôs a andar na esteira alguns dias na semana.

Minha sogra é um exemplo, ela se juntou com um grupo de senhorinhas (ela vai me matar por isso) e começou a ir à “ginástica da saudade” na praia. É um processo cíclico, pois ela vai, faz amizades, por consequência essas amizades cobram que ela vá. Quando ela vai se sente melhor e aí não larga mais. A coisa deu tão certo que até na academia ela se matriculou para complementar a praia. É outra sogra. Mais disposta, alegre, não reclama de ir comprar a carne do churrasco. A mudança é visível! O esporte ativa tantas áreas cerebrais e dispara tantos hormônios positivos em nosso corpo que só pode ter bons resultados.

Há algum tempo, escrevi esse post, dando dicas de como começar um esporte na sua vida, abordando inclusive sobre o que fazer para os que acham que não têm tempo. Eu considero a estrategia da minha sogra bastante efetiva. Encontrar um grupo que estimule a sua disciplina na prática esportiva pode ser a diferença entre a saúde e o sedentarismo.

Pare para pensar nesse assunto, não espere o momento certo para começar a se mexer, o momento certo é um mito. Se não tem tempo, comece a andar no fim de semana com a família ou amigos. O primeiro passo é ter uma comunidade e que essa comunidade ajude você a fazer o que deve ser feito, é basicamente o processo dos sedentários da antiguidade, só que dessa vez por uma boa causa.

Posts similares

Comentários