Imagem do post 2

Organização Doméstica ajuda a construir o nosso aconchego no lar


Hoje vamos falar de Organização Doméstica de um jeito diferente. Falemos sobre a importância de cultivar o nosso lar para os que o dividem conosco – e como podemos dar conta disso tendo rotina atribulada.

 

Se você cuida da casa, das roupas, da comida, do relacionamento, de você, do trabalho e dos filhos/familiares, fora as atividades extras (Ufa!!! Já cansei!), então sabe do que estou falando e do quanto, muitas vezes, queremos fugir por achar que não daremos conta. Sim, me incluo nisso também.

 

Organização Doméstica é mais do que ter um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar. É estarmos inteiros, plenos, presentes ao deixarmos o nosso cantinho do nosso jeito, aconchegante para nós e para aqueles que convivem conosco e nos visitam. Lembrando sempre que é muito bacana faxinar, cozinhar e arrumar a casa para festejar com amigos. Eu mesma sou adepta disso, sempre que possível. Porem não podemos esquecer de fazer isso com os nossos e para os nossos. Por que são só as visitas que recebem tratamento VIPPorque não tratar como VIP as pessoas realmente VIP na nossa vida? Aquelas que convivem conosco.

 

Falta de tempo, claro! Ah, sempre ele!
E se eu te dizer que ele não é tão mau assim?

 

O tempo pode nos ajudar e muito nisso. É só lembrar do motivo pelo qual estamos limpando e arrumando a casa, como colocar uma flor na mesa da cozinha, sabe? Uma “bobagem” que já diz muito.

 

Para quem não conhece, isso é uma colmeia organizadora:

 

 

 

Elas servem para colocar meias, peças íntimas femininas e masculinas, leggins, biquínis, enfim. Uma infinidade de usos. Eu tinha muita resistência a usá-las, mesmo sendo Personal Organizer desde 2013. Quebrei isso quando associei, em um curso de reciclagem feito em 2016, seu uso com o bom uso do tempo.

 

Assim como organizamos (deveríamos, pelo menos) a nossa agenda com cada compromisso num intervalo, por que não organizar as nossas coisas? Por que não dedicar um tempo para a nossa casa?

 

Nossa casa reflete nossa essência, nossa organização emocional e relacionamentos. Pessoas que convivem “em pé de guerra” ou numa aparente harmonia quando na verdade é “cada um por si” dificilmente terão a casa organizada. Exemplo típico: aparentemente tá tudo limpo e arrumado até um armário de uso comum, como o da cozinha, ser aberto..

 

 

Comece planejando!

 

Sim. Sim. Planejar é a palavra de ordem. A partir do planejamento se estabelece algo precioso para um lar: a Rotina Doméstica de limpeza e alimentação. Para quem tem filhos, então, isso é fundamental!!!

 

COMO PLANEJAR

 
Primeiramente, lembre do motivo pelo qual está fazendo essa organização! Falamos no começo do texto sobre ter um ambiente aconchegante a nós e aos nossos.

 

Comece pelos pontos críticos. 

 

Geralmente a gente sabe quais são os piores pontos críticos da casa. Eu, por exemplo, tenho dificuldade com as roupas. Porque não vão para os devidos locais já dobradas/passadas sozinhas? Aff! Outro dia levei quase 2h guardando roupas e organizando gavetas, porque dobro uma a uma, guardo em cada gaveta, prateleira… As roupas passaram a ser meu indicador de produtividade: Lavei e guardei, sem acumular para lavar ou guardar? Ponto! Tive uma semana produtiva em casa.

 

E você quais os pontos críticos da sua casa? Comece por eles, planeje no seu tempo disponível um intervalo para isso. Mas não se esqueça da triagem:

 

–  O que será usado mesmo – SEPARE.
–  O que está em bom estado e será usado um dia, quem sabe – DOE.
– O que não será usado de jeito nenhum e só ocupa espaço – LIXO.
– Depois disso, aí sim ORGANIZE.

 

Lembrando que Organizar = Armazenar da melhor forma possível com critério de uso e alcance útil. Sabe aquela bolsa do dia a dia? Para que eu vou colocar na parte de cima do armário se tenho 1,60m e terei que subir numa escada todo dia.

 

Já entendeu né?

– Usado sempre – Deixe a mão
– Usado de vez em nunca – Fora do alcance
(Claro que aqui não me refiro a itens perigosos às crianças e animais. Isso é outro papo!)

 

E por que eu disse para começar com o “pior”?

 

Simples: Ao fazer o que é mais penoso e demorado, ganhamos motivação para fazer o mais simples e/ou o que nos agrada mais. Vira recompensa.  E não há recompensa melhor do que estar com a nossa casa organizada e arrumada com carinho para quem amamos, né? Fora que dá uma satisfação em ver o resultado do esforço traduzido num ambiente acolhedor e aconchegante a nós e a quem recebemos. Não dá?

 

Organização Doméstica é um processo continuo. Comece e vamos juntas.  Estou aqui para ajudar, conte comigo!

 

Joana D'arc Souza - Consultora e Coach de Organização Pessoal

Posts similares

Comentários