Imagem do post 1

Organize seu tempo para que as reformas não acabem com sua produtividade


Estou passando por uma reforma, pois meu apartamento novo ficou pronto e preciso reformá-lo para mudar. Não é nenhuma reforma pesada, são coisas simples como mudanças de ponto de ar, elétrica, gesso, pintura, piso, mudança de cubas, granito, automação, marcenaria, etc.

Eu fiz um planejamento de 50 dias corridos a partir do momento em que eu pegasse as chaves até estar morando, com tudo pronto. Claro que alguns amigos e parentes, que provavelmente lerão esse texto, estão gorando para que meu planejamento fure, afinal como eles dizem: uma coisa é administrar o tempo outra é administrar o tempo de uma obra!

Lego-House (1)

Preciso admitir que odeio reforma de qualquer tipo, espécie, tamanho, etc. Não suporto. E essa reforma está consumindo um tempo realmente grande. Como eu tinha duas perguntas na fila sobre essa questão, aproveito nesse post para responder e falar algumas coisas que estou fazendo para a obra não roubar meu tempo.

1 – Faça um plano

Uma obra é a coisa mais imprevisível do mundo, por isso, mais do que nunca fazer um planejamento é essencial. Não dá para prever tudo, mas sem saber nada, vai gastar um tempão. Eu criei um projeto com todas as tarefas que precisava fazer (orçamentos, compras, follow up com fornecedores, etc), adicionei nesse plano tarefas que são “marcos” de finalização. Por exemplo: gesso termina no dia 11, pintura termina dia 15, etc. Como uma coisa depende da outra, eu nunca deixo tudo muito junto, dou sempre 1-2 dias de intervalo, pois caso dê tudo certinho eu tenho folga para antecipar os prazos.

2 – Agrupe seus orçamentos

Devido ao grande volume de coisas para serem compradas e feitas em uma obra, as pessoas podem multi-tarefar essas atividades e com isso perder muito tempo. Por exemplo, ela vai na loja de lustres orçar spots, depois vai ver cubas e depois ver a tinta. Na outra semana, ela passa em outra loja de lustres para orçar.

É muito mais eficiente se a pessoa fizer uma lista de itens que precisam ser orçados e visitar um número de lojas que achar adequado de um mesmo segmento. Por exemplo, no sábado passado tirei a tarde para visitar lojas de iluminação. Quando você tem na cabeça o que quer, e está vendo isso, fica mais fácil de comparar e tomar a decisão.

3 – Contrate bons profissionais

Tem coisa barata que sai caro. Não adianta pegar o pintor mais barato, o eletricista mais barato e quando a coisa começar a andar eles te ligam a cada 15 minutos porque não sabem o que fazer. O seu tempo é precioso demais para isso. Com um bom profissional, você faz uma reunião objetiva, explica tudo, tira dúvidas e depois não se arrepende. O barato pode custar caro ou pior ainda, pode custar seu tempo!

4 – Faça follow up diários

Meu amigo Gérson, engenheiro e diretor de uma grande construtora, sempre me fala isso: quanto mais rápido o problema aparecer, mais rápido ele vai embora. Se for possível diariamente visite sua obra, se não for possível peça para alguém tirar uma foto. Quando estou em Santos eu visito a obra na hora do almoço e quando saio do trabalho, e sempre, por mais explicado e desenhado que esteja tem coisas para ajustar, mas nada que atrapalhe meu cronograma, pois foram vistas logo no começo.

5 – Negocie alguns dias

Se você tiver na sua empresa banco de horas ou flexibilidade no horário, vale tirar 1 dia para se dedicar às ações da obra e na mudança também. Além de reduzir seu estresse, será mais eficiente, pois do que adianta estar na empresa com a cabeça na obra?

E, obviamente, se você tiver a sorte que eu tenho, de ter uma super-esposa que tem uma vontade escondida de ser arquiteta/decoradora, tudo vai fluir que é uma maravilha, pode delegar que ela vai adorar. A única coisa ruim é que seu cartão não vai gostar tanto assim!

E você tem dicas boas para gerenciar suas obras? Compartilhe conosco!

Posts similares

Comentários