Imagem do post 2

Uma nova estratégia de como fazer para vencer a crise em 2017?


O ano de 2016 foi muito difícil para a maioria das empresas e das pessoas. Milhões de desempregados, milhões de inadimplentes, milhões de problemas de saúde ocasionados pelas preocupações e estresse. Muitas discussões familiares geradas pela situação política e econômica do país.

 

E o cenário ainda assusta, apesar de algumas previsões otimistas de melhoras para o meio deste ano de 2017.

 

Para muitos, virou um clichê dizer que a palavra crise em japonês é composta de dois ideogramas, um que significa perigo e outro oportunidade. Algumas pessoas foram tão afetadas que perderam o entusiasmo, a fé, motivação e a visão de como podem enxergar alguma oportunidade, até mesmo o lado positivo da crise.

 

Tenho um amigo próximo que foi profundamente afetado pelas crises. Falo no plural porque não estou me referindo apenas a crise financeira, parece que ele sofreu uma conjunção astrológica de crises. Crises familiares, emocionais, espirituais, crises de existência, crises de saúde, de relacionamentos, crises profissionais e, claro, econômicas. Se sua histórica não fosse trágica, seria cômica. Perdeu o emprego, investiu dinheiro errado, aumentou suas dívidas, acabou com seus relacionamentos, teve sérios problemas de saúde e depois disso tudo, perdeu o que restava da sua fé.

 

Nessas situações, toda ajuda externa parece chocar-se com uma muralha intransponível de desculpas e resistências psicológicas. Todas as dicas, todas as ferramentas ou métodos psicológicos parecem não surtir efeito. Nada do que se diz ou se tenta mostrar como saída encontra aceitação. É como o efeito placebo ao contrário, os médicos já constataram que se o paciente não acredita na cura ou no remédio, até mesmo a mais forte medicação não funciona. É irônico, porque isso mostra o poder da fé, da mente e do domínio que ela tem para anular uma poderosa medicação. Por isso, tudo é uma questão de direcionar essa energia poderosa que cada ser humano tem, contanto, quando todo esse poder está sendo usado para afirmar o negativo, o pessimismo, as crises e problemas, só há uma pessoa capaz de ajudar, ela mesma.

 

Apesar de usar todo o arsenal de conhecimentos disponíveis, como técnicas de pnl, métodos de gestão, coach, mentoring, histórias de superação e livros de autoajuda, nada parecia ser capaz de fazer meu amigo voltar a acreditar. Saí de nossa conversa abatido e chateado por não ter podido ajuda-lo. Mas, aprendi uma grande lição. Cada um deve passar por suas próprias crises e vencê-las, pois, “cada ser carrega em si o dom de ser capaz de ser feliz”. Assim age a natureza, forja suas criaturas e criações com dificuldades e desafios. Todo diamante, antes de se tornar uma joia rara precisa ser submetido a altas temperaturas e uma pressão absurda, mas o processo não termina aí, existe ainda a lapidação por mãos habilidosas. E nada como uma situação limite para despertar no ser humano a força necessária para vencer.

 

Alguns meses depois reencontrei meu amigo e sua situação havia mudado completamente. Ao me contar o que ele fez para resolver seus problemas (e resolveu praticamente todos) achei tão diferente da minha maneira de agir que, por essa razão, extraí uma nova estratégia em 7 passos para vencer as crises, que consistem no método descoberto por ele:

 

1º. Relaxe de verdade.
Para pessoas altamente responsáveis, enérgicas e trabalhadoras, daquelas que carregam o mundo nas costas, é difícil relaxar verdadeiramente. Quando foi a última vez que você conseguiu relaxar totalmente o corpo e a mente? Para meu amigo, relaxar era algo impossível, ele só conseguiu quando a única saída era relaxar. Tal como Arquimedes, que só descobriu o princípio de como resolver o problema da coroa de ouro do rei quando mergulhou na banheira e relaxou, assim ele fez.

 

2º. Esqueça de todos os seus problemas.
O mundo está caindo, o banco ligando 28 vezes por dia, desempregado e sem condições saudáveis, o melhor remédio foi esquecer tudo e deixar o tempo passar, porque crises vem e vão, dinheiro vem e vai, mas a saúde nem sempre volta! Esquecer dos problemas é não dar tanta energia para eles. Sei que isso pode parecer improvável, também o era para este meu amigo, entretanto, esquecer dos seus problemas, seguir o Hakuna Matata, era algo totalmente novo para alguém que sempre se importou com todos os mínimos detalhes. Esquecer deu um alívio imediato. Nessa situação limite, esquecer não foi deixar de ser responsável, mas foi dar um tempo para que o tempo aja a seu favor. E parar de, com sua preocupação e raiva, envenenar o próprio corpo.

 

3º. Use o que você acredita, mesmo que tenha perdido a fé.
Apesar de muito religioso, ele perdera a fé em suas orações, mas como era algo que sempre fizera e em outras milhares de ocasiões o ajudaram, resolveu voltar a fazê-las, mas, dessa vez sem cobranças e sem expectativas, fez por fazer, fez porque o alegrava e continuou fazendo mesmo sem muita motivação. O mesmo serve para as técnicas conhecidas e usadas por coachs, mentores e livros de autoajuda, elas funcionam, funcionaram antes e podem voltar a funcionar hoje.

 

4º. Divirta-se.
Ao invés de continuar traçando milhares de planos, enviando currículos, desenvolvendo pequenos projetos para conseguir dinheiro, correndo atrás de quem pudesse emprestar dinheiro ou ajuda-lo com qualquer coisa. Decidiu mais uma vez inovar e fez o que nunca ousara fazer antes. Começou a jogar um joguinho de computador que sempre jogava quando criança. Foi andar despreocupado, foi no bar com amigos, ficou vendo o melhor dos trapalhões (quase todos os vídeos antigos do quarteto fantástico da alegria). Divertiu-se como se sua única ocupação fosse se divertir.

 

5º. Conte aos outros suas necessidades sem auto piedade.
Ao encontrar amigos, clientes e familiares, expôs suas necessidades de forma clara e consciente, mas sem ser piegas, explicou de que forma poderiam ajuda-lo se pudessem, sem cobranças excessivas ou expectativas. Voltou se para sua fé e religião e apresentou suas necessidades ao universo.

 

6º. Fique atento às oportunidades.
Com a mente e o corpo relaxado, ficou mais atento e sua percepção começou a aumentar. Não tardou algumas oportunidades de trabalho se apresentaram. Além disso, aproveitou seu tempo para iniciar de forma gratuita muitos cursos pela internet e aprendeu novas habilidades. Há centenas de oportunidades nesse exato momento, você já se apercebeu delas? Isso o ajudou até mesmo a encontrar um novo relacionamento.

 

7º. Seja e sinta-se feliz por três dias consecutivos.
Antes mesmo das coisas melhorarem ele iniciou um jejum de meio dia, depois aumentou gradativamente, sem forçar seu corpo, até chegar a três dias. Jejuar que era uma prática religiosa, hoje já está sendo incentivado e apoiado pela medicina, contudo, seu propósito era aumentar sua força de vontade e disciplina. Fortalecido mentalmente e restaurado pela alimentação equilibrada, resolveu desafiar-se a manter um jejum de más energias e pensamentos negativos e por três dias consecutivos se sentiu feliz e se lembrou de todos os momentos passados de felicidade.

 

Suas estratégias surtiram efeito, descobriu a sua própria maneira de vencer suas crises. Cada um tem e deve desenvolver seu próprio método de vencer seus problemas, mas seguir dicas que deram certo podem ajudar. Cada caso é um caso, mas, quem sabe alguma dessas estratégias seja a ferramenta que está faltando para começarmos a vencer esta ideia de crise?

 

Me conte sua experiência. Como você fez para vencer suas crises?

 

Alexandre Rodrigues

Posts similares

Comentários