Pular para o conteúdo
Início » Como terminar o que começo: 3 técnicas chaves para concluir tarefas com sucesso

Como terminar o que começo: 3 técnicas chaves para concluir tarefas com sucesso

Aprender como terminar o que começo foi uma chave que provocou muitas mudanças boas em minha vida.

Você não precisa observar muito para descobrir que muitas pessoas são peritas em iniciar coisas, mas quase nunca terminam nada.

Começam a academia e param alguns meses depois, iniciam o regime e param no meio, começam a escrever o livro e não terminam, engatam um romance e perdem o ritmo, abrem uma empresa e fecham antes mesmo de dar certo, entre outros exemplos.

A vida fica assim com muitos começos e poucos términos.

A razão para isso acontecer vem das mais diversas origens. Muitos culpam a falta de tempo, a perda de interesse, a dificuldade de levar a diante, a mudança de planos ou o simples fato de desistirem.

Costumo ouvir as mais diversas desculpas para isso acontecer. Por isso quero compartilhar o que aprendi ao longo dos anos.

Veja os tópios que irá encontrar:

Sumário

Como terminar o que começo?

Muitas pessoas tem uma tendência para iniciarem diversas tarefas e projetos, mas poucos são terminados.

Fundamentalmente, aprender a terminar o que você começa sempre te colocará frente a uma tríade de fatores que você deve combater. São eles: falta de relevância, falta de foco e auto-sabotagem.

Por isso, a chave para concluir tudo o que você faz se baseia nesses aspectos. 

1 – Comece coisas realmente relevantes

Se começamos algo que não é importante de fato, que não tem uma real importância, mais cedo ou mais tarde iremos desistir. Às vezes, pela urgência do momento, acabamos prometendo coisas, mas que sem uma relevância perderá o sentido completamente com o tempo.

Ache sentido para as coisas que começar. Isso se faz com coração e não apenas com a razão! Quando começar algo, pense na relevância além do objetivo: você não está fazendo um curso de inglês, você está garantindo a viagem dos seus sonhos!

Você não está de regime, você está na busca de saúde, de um namoro ou da vida! Você não está escrevendo um livro, você está construindo sua próxima casa! Você não está na faculdade, você está garantindo sua realização profissional!

Se não houver relevância, nem perca seu tempo, pare antes de começar!

2 – Procure ampliar seu foco

Depois que a relevância for descoberta vem a necessidade de focar. Quem quer muitas coisas ao mesmo tempo, acaba tendo dificuldades de executá-las. Quem quer tudo, pode ter tudo, desde que foque em apenas uma coisa por vez.

Sem um foco definido, os resultados demoram a aparecer, você acaba se desmotivando e deixando mais um término para depois. Nossos estudos demonstram que uma pessoa não consegue ter resultados se focar em mais de 2 (duas) metas por semana. Você pode ter diversas metas, mas selecione as mais relevantes para focar semanalmente, isso te ajudará a ser mais produtivo.

Com o foco definido, fica fácil criar um plano de ação, marcos de controle e indicativos de progresso. É muito mais fácil planejar poucas coisas do que uma diversidade de objetivos.

A falta de foco nos dá preguiça, achamos outra coisa mais interessante, ficamos sem saber por onde começar. Foque nos seus términos e não em seus começos!

3 – Não se sabote

E por último, precisamos falar da autossabotagem. Este é um dos fatores mais comuns para impedir seus términos.

Muitas pessoas começam a lutar por seus objetivos, mas no meio do caminho acabam autossabotando a execução. Imagine que você tem uma meta de ter R$ 1 milhão de reais na sua conta em 20 anos.

No meio do caminho, você começa a gastar mais do que deveria e nunca consegue se aproximar da quantia. Este é um grande exemplo de autossabotagem, pois as pessoas o fazem, porém muitas vezes nem percebem.

Alguns possuem uma crença (muitas vezes com origens na infância), de que quem tem muito dinheiro é ladrão ou de que o dinheiro é sujo. Esta crença também dificulta a realização dos seus objetivos por trazer a culpa pela conquista dos mesmos.

Você nunca conseguirá ter esse dinheiro, porque, inconscientemente, você não quer ser ladrão e nem ter algo sujo. Desta forma, você encontrará um meio de nunca chegar neste objetivo! Parece loucura, mas as razões psicológicas são grandes fatores que acabam nos levando a desistir de nossos sonhos.

Descubra o que pode estar sabotando você, aprenda a lidar com esses obstáculos, visualize diariamente o seu objetivo realizado e os benefícios que ele trará para você!

Dicas para concluir tarefas

como-concluir-tarefas

Muitas vezes a maneira como pessoas e empresas conduzem suas metas é o que na verdade as impede de sair do lugar.

Saber dividir uma meta em uma série de tarefas, como se fossem passos para a sua execução, ajuda bastante. Porém, saber classificar as tarefas e priorizar as que realmente são possíveis de serem realizadas, também é essencial.

O problema com relação às tarefas é que elas podem ser classificadas em dois tipos:

  • Tarefas contempláveis – são aquelas tarefas vagas e amplas que, mesmo sabendo o que significam, tendemos a contemplar, em vez de as executarmos de fato.
  • Tarefas executáveis – são aquelas tarefas bem específicas, de curta duração, que de fato podem ser executadas e que nos permitem ver a ação.

Procure sempre, focar nas tarefas executáveis e pequenas que os levarão as metas macros.

Para isso, deixo duas dicas:

#1 – Crie tarefas específicas

Depois desse dia, comecei a reparar em como as pessoas e as empresas criam tarefas contempláveis em vez de executáveis em suas listas. Nós pensamos “macro” demais, mas o que executamos é apenas “micro”.

Imagine que você quer comprar uma casa própria, mas ainda não tem todo o dinheiro para realizar essa ideia. A tarefa mais comum que as pessoas incluem para execução é “juntar dinheiro”. Porém, ninguém consegue juntar dinheiro do dia para a noite. Este é o exemplo mais comum de tarefa contemplativa, que não vai sair do lugar.

“Juntar dinheiro” é irreal, mas essa tarefa é o ponto de partida para criarmos tarefas verdadeiramente executáveis. O que você precisa para juntar dinheiro? Primeiro abrir uma conta-corrente, depois depositar uma quanta todo dia 5 do mês e, por último, escolher a aplicação financeira para o dinheiro guardado.

2# – Defina tarefas de curto prazo

O maior segredo para saber se a tarefa é ou não executável é reparar na sua duração. Se a coisa que deve ser feita não puder ser realizada em menos de três horas, provavelmente a tarefa é contemplável, é grande demais e talvez você não consiga realizá-la.

Faça uma revisão na sua lista de tarefas e veja o que é realmente executável e o que precisa ser mudado. Não se iluda: enquanto você fica contemplando, outro está executando!

Hora de terminar meu artigo!

Que começos precisam ser terminados? Que começos precisam ser eliminados? Não consegue decidir? Conheça nosso curso que vai te ajudar a tomar decisões de sucesso.

Conte para mim quais coisas você começou e parou depois de um tempo? Quais foram os motivos que te levaram a parar? E quais projetos você começou e terminou? Como isso aconteceu?

0 0 votos
Article Rating
Se inscrever
Notify of
guest
9 Comentários
Mais votado
Mais novo Mais antigo
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Acabe com a PROCRASTINAÇÃO e comece a ter resultados em sua vida!

X