Pular para o conteúdo
Início » 15 dicas de como fazer planejamento financeiro

15 dicas de como fazer planejamento financeiro

52% dos brasileiros não possuem ou não sabem como fazer um planejamento financeiro. Os dados são da pesquisa realizada pela Leve, fintech de educação financeira.

Portanto, se você faz parte dessa estatística, seja por falta de conhecimento sobre finanças ou dificuldade de estabelecer metas, esse artigo pode te ajudar a organizar suas finanças de uma maneira fácil.

Segundo especialistas, as pessoas não têm o hábito de organizar a vida financeira. Porque, quase sempre, estão imersas no ciclo da frustração ou da sobrevivência. Você já ouviu falar sobre eles?

O ciclo da frustração diz respeito aquelas pessoas que não conseguem ter tempo para nada. Elas vivem com problemas financeiros, pagam juros aos bancos, não saem das dívidas, e consequentemente, ficam estressadas no dia a dia.

Já no ciclo da sobrevivência estão aqueles que, literalmente, “correm atrás do próprio rabo”. São pessoas que tendem a se conformar com o básico, têm dinheiro para sobreviver e pagar as contas e permanecem estacionadas na carreira e na vida pessoal.

Porém, a vida não se limita a esses dois ciclos. Existe também o ciclo prosperidade, e ali vivem as pessoas que sabem usar bem o seu tempo, conseguem fazer o dinheiro render e aumentar seus ganhos por meio de técnicas de planejamento.

Esse artigo vai te mostrar os caminhos do ciclo da prosperidade através do planejamento financeiro. Confira os tópicos que serão abordados:

Sumário

O que é planejamento financeiro?

O planejamento financeiro consiste acima de tudo, na organização das finanças para que haja estabilidade financeira. É realizado pelas seguintes etapas: reconhecimento da situação financeira atual; determinação dos objetivos a longo prazo; e estudo dos possíveis caminhos para alcançar esses objetivos.

Ao fazer isso, é possível controlar e organizar os ganhos e os gastos, visando melhorar as questões monetárias de uma empresa, indivíduo ou organização familiar.

Tipos de planejamento financeiro

Para ser efetivo, o planejamento financeiro deve contemplar todas as áreas da sua vida, seja no aspecto individual ou coletivo. Mas, de modo geral, os principais tipos são: o pessoal, o familiar e o empresarial.

Construir um planejamento financeiro pessoal já é o primeiro passo. Ele irá te auxiliar, por exemplo, a administrar bem o seu salário e eliminar aqueles gastos desnecessários, que geralmente, causam arrependimentos no fim do mês.

O planejamento das finanças pessoais também é útil para atingir objetivos próprios, como fazer uma viagem, comprar um computador novo ou fazer uma faculdade. Afinal, tudo isso envolve dinheiro.

Para quem mora junto com outras pessoas e divide as contas, é importante ter atenção também ao planejamento familiar. Afinal, quando se envolvem mais integrantes na casa, outras variáveis devem ser consideradas.

Inclusive, um dos principais motivos de endividamento das famílias é a falta de clareza em relação aos gastos. Não é porque há mais de uma pessoa trazendo dinheiro para casa que sobra mais, na verdade, isso pode significar mais despesas.

Nem todas as pessoas precisarão de um planejamento empresarial. Mas, ele é essencial, principalmente, para empreendedores ou para quem está desenvolvendo atividades paralelas para ter uma renda extra, como profissionais freelancers, por exemplo.

Nesse sentido, manter as finanças organizadas é importante para ter mais controle do negócio. É possível verificar mais detalhadamente se está dando lucro ou prejuízos, e assim colaborar para o seu crescimento a cada dia.

Como fazer um planejamento financeiro pessoal

No livro Mais tempo, mais dinheiro, escrito por Christian Barbosa em parceria Gustavo Cerbasi, um dos maiores especialistas do Brasil em finanças pessoais, contém a explicação de como utilizar o tempo e o dinheiro de forma sustentável.

Além disso, o livro também conta com um passo a passo de como fazer um planejamento financeiro anual. Christian e Gustavo falam sobre o tema no vídeo abaixo:

Confira agora um breve resumo com cinco dicas para você construir o seu planejamento financeiro pessoal para o ano:

1. Defina um objetivo

Em seu planejamento anual, é importante deixar claro o seu objetivo de longo prazo, como por exemplo, dar entrada na casa própria.

Em seguida, você precisa definir uma meta para esse objetivo. A meta nada mais é do que uma definição quantitativa daquilo que queremos alcançar, neste caso, o objetivo.

  • Exemplo de objetivo: dar entrada na casa própria
  • Exemplo de meta: no intervalo de um ano, juntar R$ 40 mil, o equivalente a 30% do valor do financiamento da casa que desejo comprar.

2. Analise o que é importante

Você sabe o que é importante para você? O planejamento financeiro está conectado aos seus objetivos de vida, como a compra de um imóvel, um carro novo ou uma viagem dos sonhos.

Então, essa também é uma oportunidade de propor uma nova rotina de saúde, de trabalho e de convívio social. Ao eliminar da sua vida o que não lhe traz resultados, você impõe limites para o uso do seu dinheiro.

3. Dimensione suas metas

Faça as contas, estime o custo mensal da concretização de seus objetivos e ajuste seu orçamento para comportá-los.

Estabeleça uma margem de erro de 5% nas contas de seu orçamento para contar com imprevistos. Esse também é o momento de avaliar o quanto você poderá poupar por mês e para quais objetivos pessoais e familiares será essa poupança.

4. Estruture sua estratégia de investimentos

Não basta fazer sobrar dinheiro. Você precisa fazer com que ele se multiplique de forma eficiente e gere mais resultados para viabilizar seus sonhos. Fazer investimentos é o caminho.

Para isso, não é preciso entender tudo de mercado financeiro, basta adotar uma estratégia simples para a composição de sua carteira de investimentos.

Invista em alternativas conservadoras e com boa liquidez, como Títulos Públicos ou Fundos de Renda Fixa Pós-Fixada, e assim contará com recursos para reserva de emergência.

Os recursos para viabilizar metas em até três anos devem ser alocados de maneira conservadora.

Investimentos em uma carteira mista, com predominância em renda fixa e 20% a 40% para renda variável, são indicados para obter recursos que viabilizam metas de prazo.

Caso você acompanhe diariamente o noticiário econômico, e quer contar com recursos para viabilizar objetivos em data, pode ser mais arrojado e investir até 100% em renda variável.

5. Execute seu planejamento em planejamentos menores

O planejamento mensal serve para que as estratégias do planejamento anual sejam traduzidas em ações semanais ou mensais que lhe permitam concretizar seus objetivos.

De forma simplificada, a sua organização financeira mensal deve contemplar os seguintes pontos:

  • Selecione, no máximo, quatro metas para focar no mês;
  • Faça o controle das receitas, gastos fixos e gastos variáveis, em planilha ou app;
  • Revise suas metas de consumo do mês anterior, a cada início de um novo mês. Para os itens que não foram cumpridos, refaça as metas para as semanas seguintes, focando seus gastos no que é importante;
  • Acompanhe o desempenho de seus fundos e verifique o resultado projetado.

Há quem faça planejamento semanal. Esse é indicado para apontar seus gastos diários ou, simplesmente, solicitar comprovantes de compras para os lançamentos mensais.

Como fazer um planejamento financeiro familiar

Tão necessário quanto desafiador, o planejamento financeiro familiar é um elemento-chave para o bem-estar e qualidade de vida para os moradores de um lar.

Confira abaixo algumas dicas para fazer esse planejamento, a partir de uma perspectiva mensal.

1. Identifique todas as despesas

Para iniciar a organização financeira familiar, o primeiro passo é separar as despesas fixas (que se repetem todo mês) das variáveis (aquelas que nem sempre são previsíveis).

Aluguel e contas de água, energia e telefone, por exemplo, entram como despesas fixas. Já os custos com gasolina, lazer, cartão e almoços aos domingos se configuram como despesas variáveis.

Essas informações financeiras podem ser colocadas em uma planilha do Excel, com objetivo de controlar todas as entradas e saídas de dinheiro ocorridas no mês. Mas, você pode ir além e contar com um sistema online mais completo, como o Neotriad.

2. Estabeleça objetivos e metas coletivas

Uma vez identificados os gastos mensais, o próximo passo é traçar os objetivos coletivos. Ou seja, sonhos e conquistas importantes para todos os membros da família, como comprar um carro ou uma casa nova.

Depois dos objetivos vem as metas. Elas precisam ser específicas, mensuráveis, atingíveis, relevantes e temporal. É o que se chama de metas SMART.

Cada membro familiar deve estar relacionado com uma ou mais metas para atingir o objetivo. Esse planejamento em conjunto gera mais motivação, cumplicidade e responsabilidade.

3. Reveja os hábitos de compra

De nada adianta um membro da família se comprometer com o planejamento financeiro, enquanto os outros mantêm hábitos que levam tudo a perder.

O ideal é evitar compras por impulso e considerar necessidade x condição financeira familiar no momento. Também é sempre válido fazer pesquisas de preço e, sempre que possível, comprar à vista.

4. Monte uma reserva de emergência

Imprevistos são normais e a maioria das famílias já passaram por algum “perrengue” ao longo da vida. Por isso é importante contar com uma reserva financeira.

Porém, a depender da sua gravidade, gastos extras podem acontecer. Imagine se você bate o carro, por exemplo, além do reparo será necessário ter outro meio de locomoção temporário.

Não há dúvidas que é muito melhor recorrer a seu próprio dinheiro do que buscar um banco para empréstimos. Afinal, há uma grande chance desse gasto extra virar uma bola de neve.

No cenário ideal, a reserva de emergência deve cobrir cerca de 6 meses do seu custo de vida mensal. Guardando, ao menos, 10% da sua renda você consegue fazer essa reserva.

5. Pratique educação financeira com as crianças

Por fim, nada convence mais que o exemplo, concorda? Quando você pratica o que prega no dia a dia, as crianças tendem a reproduzir o seu comportamento.

Por isso é interessante envolver os filhos no plano de ação para alcançar um objetivo comum da família, mesmo que determine metas simples. Por exemplo, como economizar no lanche da escola ou guardar uma parte da mesada.

Como fazer um planejamento financeiro empresarial

O planejamento financeiro empresarial proporciona maior clareza sobre a real situação do negóci. Como também, facilita para o empresário enxergar novas possibilidades de crescimento.

A organização financeira de um negócio pode contemplar diferentes métodos e estratégias. Confira abaixo um breve roteiro para dar start no planejamento do seu empreendimento.

1. Faça um diagnóstico

O primeiro passo do planejamento financeiro de uma empresa consiste na avaliação do cenário atual. Para isso, é preciso fazer levantamento de todas as informações financeiras atreladas a ela.

Despesas fixas e variáveis; gastos não essenciais; receitas dos últimos meses e volume de vendas são informações necessárias para identificar os problemas que precisam ser solucionados e assim tomar decisões.

2. Projete diferentes cenários

Ainda não podemos prever o futuro. Mas dados, quando transformados em informações, podem auxiliar na construção de cenários futuros.

O planejamento será mais efetivo se não pular o passo anterior. Isso porque, você terá insumos verídicos para projetar o ciclo operacional, considerando situações de normalidade, crise, aumento da demanda, etc.

3. Monte um plano de ação

O plano de ação é uma das etapas mais importantes do planejamento financeiro e deve contemplar os seguintes elementos: Objetivos financeiros; Metas SMART; tarefas e responsáveis; cronograma de tarefas e indicadores de desempenho

Existem metodologias específicas para executar planos de ações. As mais conhecidas são 5W2H e o Diagrama de Ishikawa. Vale a pena pesquisar a fundo cada uma delas e escolher a que melhor se aplica ao seu negócio.

4. Faça o acompanhamento

Não basta apenas traçar um planejamento financeiro.

É preciso acompanhá-lo e realizar eventuais mudanças quando for necessário.

Como mencionado no passo anterior, os indicadores de desempenho são as ferramentas mais recomendadas para acompanhar a evolução das ações previstas no plano de ação.

Os indicadores vão variar de acordo com as metas definidas. Mas, de modo geral, os principais são:

  • Prazo médio de recebimento das vendas
  • Prazo médio de pagamento das compras
  • Retorno sobre investimento (ROI)
  • Margem de lucro bruto

5. Não cometa esses erros

Algumas pessoas, e não são poucas, falham durante a execução do planejamento financeiro por não seguirem ou pularem etapas. Além disso, existem erros notórios, mas que muitos gestores tendem a desconsiderar.

Desse modo, se você não quer falhar no seu planejamento, não cometa esses erros:

  • Desconsiderar o grau de endividamento da empresa
  • Não ter um registro organizado das informações financeiras
  • Não acompanhar os gastos regularmente
  • Não revisar o planejamento financeiro
  • Não considerar o risco dos investimentos
  • Olhar apenas para o curto prazo

Planilha de planejamento financeiro

Uma das principais funções da planilha de planejamento financeiro é organizar as despesas. Dessa forma, fica fácil visualizar tudo o que entra e sai.

No caso de um planejamento anual, o ideal é que se faça a montagem de uma única planilha para o ano todo, com cada coluna representando os gastos de um mês.

Já para o planejamento financeiro empresarial, certamente você vai precisar de um conjunto de planilhas para organizar as finanças do seu negócio.

Deixo abaixo alguns modelos já prontos. Você só precisa baixar e atualizar com suas informações financeiras.

Se você tem um perfil mais high-tech, pode recorrer aos apps para o controle das suas contas. Algumas opções recomendadas são: Neotriad; Mobills; GuiaBolso; Organizze e Minhas economias.

Agora que você já aprendeu a fazer o planejamento financeiro pessoal, familiar e empresarial, qual método fez mais sentido para você? Comente abaixo.

Leia também:

FAQ – Perguntas Frequentes

Comente também

O seu endereço de e-mail não será publicado.